Páginas

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Leituras do Mês #2 // Novembro 2015

Olá a todos!
Espero que se encontrem bem!

Hoje venho falar-vos dos livros lidos ao longo do mês de Novembro.

Não foram muitos livros, mas algumas das leituras do mês foram realmente muito boas.
Vamos então às leituras?

 O Estrangeiro (Albert Camus)

Comecei o mês com O Estrangeiro de Albert Camus.
Resolvi ler este livro por já ter ouvido falar imensas vezes do mesmo, mais vezes ainda do autor (vencedor do Prémio Nobel em 1957) e, além disso, por este fazer parte do meu Desafio dos 100 Grandes Clássicos.
A verdade é que, talvez pelas elevadas expectativas, não consegui gostar deste livro.
Além de não ter gostado muito da história em si, o principal factor que me fez não gostar do livro foi o personagem principal – Meursault.
Meursault é um personagem apático, sem ambição, que se deixa arrastar pelas situações envolventes sem fazer nada para se impor ou mudar a sua situação.
Vive o enterro da mãe, com a mesma disposição com que almoça com os amigos… Aceita um pedido de casamento da mesma forma que mata uma pessoa…
Apesar de não ser uma pessoa propositadamente má, enervou-me pela sua ausência de carácter.

 O Estranho Mundo de Jack (Tim Burton)

Este é daqueles livros perfeito para ler quer no Halloween, quer no Natal!
Li-o entre as duas festas!
Para quem não conhece, neste livro é-nos narrada, sob a forma de um poema, a história de Jack Esquelético (Jack Skellington), o Rei do Halloween, que se sente cansado da sua vida repleta de sustos e terror.
Uma noite, enquanto passeia entediado na floresta, Jack encontra algo que nunca vira antes: uma porta esculpida numa árvore. Ao abri-la, Jack entra no mundo alegre e cintilante da Cidade do Natal e, maravilhado com tanta luz e animação, Jack decide raptar o Pai Natal e substitui-lo nesse Natal.
O livro é belissimamente ilustrado e o poema é encantador.
Recomendo quer a miúdos, quer a graúdos.

 O Diário Oculto de Nora Rute (Mário Zambujal)

Este é um livro leve, descontraído apresentado sob a forma de um diário pertencente a Nora Rute, uma jovem de 21 anos e escrito durante o ano de 1969.
Nora Rute usa o seu diário para fazer as suas confidências e desabafos, contando sobre os seus desejos, aborrecimentos e peripécias amorosas.
A parte interessante deste livro é que, ao longo da narração dos seus dias, Nora Rute refere alguns dos acontecimentos da época, nomeadamente referentes a Maio de 1968, à Primavera Marcelista, bem como referências à Guerra Colonial, a chegada o homem à lua e o boom das mini-saias.
Nora Rute é uma jovem divertida e rebelde, pelo que a leitura do seu diário, escrito de modo informal e despretensioso, se torna uma leitura leve, divertida e que entretém.


 Butcher's Crossing (John Williams)

Neste livro conta-se a história de Will Andrews, um jovem cansado da sua vida em Harvard que se muda para Butcher’s Crossing para descobrir na natureza o seu 'eu inalterado'.
É neste vilarejo que Will conhece Miller, um caçador de poucas falas, que conhece o refúgio da última grande manada de búfalos.
Seduzido pela promessa de aventura, Will junta-se à expedição em que quatro homens marcham, numa luta épica contra o tempo, a sede e os elementos.
E será que os búfalos realmente lá estão? Conseguirão peles suficientes para pagar os custos da expedição?

Mais uma vez, fiquei completamente deliciada com a escrita do autor e com a sua capacidade de tornar uma história simples, num texto cativante e quase poético.

 Flores (Afonso Cruz)

Neste livro é-nos contada a história de um homem, casado, com uma filha pequena e que, salvo ocasionais facadinhas no casamento, vive uma vida simples, sem grandes sobressaltos.
Um dia, um ‘descuido’ relacionado com um chapéu, vai funcionar como desencadeador de uma reviravolta na vida deste homem, fazendo com que o mesmo vá avaliando a sua própria vida e questionando o sentido da relação desgastada que mantém com a mulher.
Neste contexto, o nosso protagonista aproxima-se de Sr. Ulme, um vizinho já com alguma idade e que, devido a um aneurisma, perdeu a sua memória.
E é neste ritmo, conhecendo o presente de um, e procurando o passado do outro, que a narrativa se vai desenrolando.

Este foi o primeiro livro que li de Afonso Cruz e serviu para me abrir o apetite e querer conhecer mais do autor.


E é isto!
Foram estes os meus livros lidos de Novembro. Mais uma vez, cinco livros… Nunca pior!
E vocês? Que leituras realizaram este mês? Deixem tudo nos comentários porque vou adorar saber!

Um grande Beijinho e até à próxima!


Não se esqueçam de acompanhar o blog nas Redes Sociais

Para ficarem a par das minhas leituras não se esqueçam de me acompanhar também no
Goodreads 


Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixa o teu comentário! Vou gostar de saber a tua opinião! ❤