Páginas

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Li // A Árvore de Halloween de Ray Bradbury

Olá a todos!
Espero que se encontrem bem!

Hoje venho falar-vos de ‘A Árvore de Halloween’ de Ray Bradbury.


A história deste livro começa na noite de 31 de Outubro – a Noite de Halloween – quando Tom Skelton e o seu grupo de amigos, devidamente fantasiados, se junta para começar a festejar o Halloween na sua caça aos doces – o famoso Trick or Treat.
Apercebem-se no entanto que Pipkin – o amigo mais querido do grupo e o mais fervoroso adepto do Halloween – não está entre eles.

Preocupados com Pipkin, os amigos dirigem-se até à sua casa e descobrem que este está um pouco adoentado. No entanto, ainda assim, e sentindo forte dores abdominais, Pipkin promete encontrar-se com os amigos, daí a pouco, junto a uma casa que eles julgam ser assombrada.

O grupo dirige-se então à tal casa e, nos fundos da propriedade, eles descobrem uma gigantesca e magnífica árvore, repleta de abóboras, de diferentes formas e tamanhos, havendo, em cada uma delas, um rosto talhado.

Entretanto – Sr. Moundshroud – o sinistro dono da casa aparece e convida o grupo para uma aventura no País Não Descoberto. Os rapazes recusam, dizendo estar ainda à espera de um amigo – Pipkin – que entretanto aparece ao longe.
Quando Pipkin se aproxima do grupo uma grande tempestade leva-o para longe e ele desaparece!


O desaparecimento do querido amigo é o ponto de partida desta aventura deliciosa, cheia de simbologia e história uma vez que, a única forma de salvar Pipkin, será acompanhando Sr. Moundshroud através dos tempos, pela história do Halloween.

Este livro vai-nos então dando uma aula a respeito desta data tão comemorada enquanto os jovens continuam a sua perseguição pelo amigo desaparecido, ao longo dos tempos. Viajam pelo Antigo Egipto, pela Grécia, pelas Gárgulas de Notre Dame e mesmo pelo mexicano Dia de Los Muertos, aprendendo as origens do Halloween e resgatando o real significado da celebração.
No final, é-nos dada uma verdadeira lição de amizade e camaradagem.


Confesso que, inicialmente, esta premissa fez-me lembrar um pouco o conceito de ‘Um Conto de Natal’ apresentando, no entanto, um único fantasma – Sr. Moundshroud – no lugar dos três fantasmas conhecidos: do Natal passado, presente e futuro.

Este livro foi editado inicialmente em 1972, com ilustrações macabras, que acompanham esta minha edição e que complementam a narrativa e o ambiente criado.

E foi isto!

Conheciam a história? Ficaram com curiosidade para ler?
Se já leram o livro, não hesitem em deixar a vossa opinião nos comentários!

Espero que tenham gostado do post!
Um grande Beijinho e até à próxima!


Não se esqueçam de acompanhar o blog nas Redes Sociais

Para ficarem a par das minhas leituras não se esqueçam de me acompanhar também no
Goodreads 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixa o teu comentário! Vou gostar de saber a tua opinião! ❤